Emocionante: motorista reencontra a policial que salvou sua vida em acidente

Logo após ele cair de uma ponte com o caminhão que dirigia, a agente da PRF conteve seu sangramento com um torniquete improvisado

Na tarde desta quarta-feira (07), em Marau/RS, um motorista que se envolveu em um grave acidente de trânsito em agosto na Serra Gaúcha reencontrou a policial que salvou sua vida. Foi uma tarde de muitas emoções para todos, a policial, seus colegas, o motorista e sua família.

No dia 12 de agosto deste ano, na BR 470 em Bento Gonçalves, um senhor de 42 anos, motorista profissional, após ficar sem freios e desviar de veículos parados, talvez evitando um acidente ainda mais grave, saiu de pista com o caminhão que dirigia e caiu de uma ponte. A Policial Rodoviária Federal Regina e um colega iniciaram o atendimento do acidente poucos minutos após ocorrer; enquanto ele solicitava uma ambulância, ela desceu até o caminhão em uma área de difícil acesso.

A policial encontrou o condutor, que estava com hemorragia intensa em um dos braços e que poderia retirar sua vida em minutos. Prontamente ela fez um torniquete improvisado com uma barra metálica e um pedaço de tecido, estancando o sangramento até a chegada da ambulância e a condução para o hospital.

Quase dois meses depois, o motorista, já recuperado, recebeu uma visita em sua casa na cidade de Marau: a policial Regina foi ver como ele estava, um reencontro marcado por muita emoção.

Eles lembraram dos detalhes do ocorrido, principalmente o momento em que a policial improvisou o torniquete. Na despedida, o motorista desejou que Deus continuasse acompanhando os policiais rodoviários federais no serviço para que continuem salvando muitas vidas.

Acidentes em que há vítimas com lesões graves e com sangramentos intensos geram grave risco à vida e demandam intervenções rápidas. Para tanto, a Polícia Rodoviária Federal investe em treinamentos de técnicas de atendimento pré-hospitalar, tanto na formação inicial quanto nos cursos de aperfeiçoamentos profissionais, visando a aprimorar a primeira assistência realizada pelos agentes no atendimento e, assim, salvar vidas.